ENEAGRAMA

O Eneagrama é um poderoso instrumento de autoconhecimento que descreve os nove tipos de personalidade e qual deles exerce maior influência em cada um de nós. A partir dessa análise, é possível entender nossas fraquezas e fortalezas para que possamos impulsionar nossas vidas, relacionamentos, carreira e espiritualidade.

 

TIPOS DO ENAGRAMA

TIPO 1: REFORMISTA

Gostam de educar e organizar.

São ótimos para analisar e propor mudanças.

Idealista

Integro

Crítico

TIPO 4: ROMÂNTICO

Gostam do exótico. São sensíveis, introvertidos e românticos.

Fantasioso

Fiel

Sensível

TIPO 7: BRINCALHÃO

Gostam de experimentar 
e se empolgam com coisas novas. Costumam ter muita energia.

Otimista

Feliz

Expressivo

TIPO 2: AJUDANTE

 Gostam de estar perto das pessoas, são generosos e ótimos amigos.

Amigo

Carinhoso

Generoso

TIPO 5: INVESTIGADOR

São pessoas atentas. Estão sempre fazendo perguntas e acumulam conhecimento.

Curioso

Honesto

Inteligente

TIPO 8: DESAFIADOR

Gostam de tomar decisões e liderar. São fortes e determinados.

Estrategista

Carismático

Desconfiado

TIPO 3: EMPREENDEDOR

São viciados em trabalho, ótimos em cumprir metas e admirados pelo sucesso.  

Competitivo

Workaholic

Autêntico

TIPO 6: LEAL

São solucionadores de problemas. Gostam de seguir regras e procedimentos.

Regrado

Sociável

Inseguro

TIPO 9: MEDIADOR

Buscam a paz e a harmonia. 
São sonhadores e calmos.

Pacífico

Espiritual

Sonhador

O PONTO DE LUZ NO ENEAGRAMA

 

Em tempos de crise, sempre encontramos oportunidades. Cada tipo do Eneagrama pode e deve buscar sua evolução entendendo as características dos outros tipos e aprendendo com eles.

Não sabe ainda qual é seu tipo? Descubra aqui

 

CRIANÇAS PELO ENEAGRAMA

Um importante processo do autoconhecimento é olhar para o próprio passado para entender padrões e atitudes presentes e destravar possíveis barreiras que aparecem. 

Sentiam que precisavam superar as expectativas dos seus pais. Tinham um senso adulto de seriedade e responsabilidade e entendiam que seus pais esperavam muito deles. Assumiram o papel de “heróis” da família e eram “voz da razão” dentro delas. Aderiram fortemente às regras para que ninguém pudesse pegá-las num erro, construindo uma imagem de crianças boas e responsáveis. Representavam o papel de educadores, desde a tenra infância.

Acreditavam que precisavam colocar as necessidades alheias acima das suas próprias. Sentiam o impulso de ceder para obter o que precisavam e conquistar a afeição dos outros. Entendiam que para serem amadas precisavam reprimir as suas necessidades, pois reconhecê-las era um sinal de egoísmo. Cuidavam dos irmãos, faziam as tarefas da casa. Estavam prontos a se sacrificar em nome do amor à família.

Acreditavam que seriam valorizados se fizessem determinadas coisas extremamente bem. Aprenderam a legitimar seu valor por meio da realização e do êxito. Criaram um vínculo emocional muito forte com a pessoa da família que para elas representava o provedor, esperando dele, o reconhecimento. Sentiam que sua família tinha orgulho deles, representando também o papel de “heróis” da família. Destacavam-se na escola desde pequenos.

Acreditava que não era como seus pais. Fantasiava que havia sido trocado no hospital ou adotado. Era muito sensível e capaz de produzir verdadeiras obras-primas. Era criativa, preocupada com a estética e as artes. Adotava uma forma misteriosa e intrigante de ser.

Sentiam-se indefesos e procuravam uma forma de se sentirem seguros e confiantes. Fugiam da família, mental, física e emocionalmente, refugiando-se em seu próprio espaço. Eram crianças tímidas que não brincavam muito com as outras, preferindo se ocupar com estudos, livros, computadores ou colecionando coisas. Dominavam o mundo das ciências e da tecnologia. Sua capacidade analítica e seu espírito desbravador assombram todos ao seu redor.

Sentiam medo de não contar com apoio e orientação para sua sobrevivência. Tinham dificuldade de se separar da figura materna e não sentiam muito apoio do pai para a sua independência. Desenvolveram a capacidade de relacionamento e lealdade com os entes queridos. Queriam entender o mundo para ajudar na sua mudança. Tinham uma postura externa de obediência, mas interiormente, sentiam uma sensação de independência e rebeldia.

Foram marcados pela sensação de desligamento da figura materna. Alguma enfermidade ou a chegada de um novo irmão pode ter trazido a sensação de desligamento. Decidiram cuidar de si mesmos, sem esperar que alguém se encarregasse de tomar conta deles. Apegavam-se a brinquedos, jogos ou coleguinhas, tendo muita energia. Emanavam a alegria da criança em todas as suas dimensões e nunca rejeitavam a chance de explorar o mundo.

Sentiam precocemente que precisavam se tornar adultos. A falta de algum provedor na família pode ter feito com que ajudassem no sustento da família. Pensavam que não era seguro serem meigos ou conciliadores, pois fariam com que parecessem fracos e inseguros. Eram crianças curiosas e muito corajosas, mesmo que se metessem em encrencas. Lideravam as brincadeiras e as decisões do seu grupo de coleguinhas.

Tiveram uma vida conturbada por problemas familiares, adotando o papel de pacifistas ou mediadores. Aprenderam que a melhor maneira de manterem a harmonia no lar seria desaparecendo e não criando problemas. Tinham que compensar os problemas causados por algum irmão, com uma postura tranquila e responsável. Sentiam que não era permitido ter necessidades, raiva ou reivindicar algo. Desenvolveram extrema flexibilidade e capacidade para mediar conflitos.

...

AS 9 FACES DA ALMA

ASAS DO ENEAGRAMA

Além de você descobrir seu "tipo" no Eneagrama, isto é, o perfil que mais exerce influência sobre você, é importante saber qual é a "asa" do seu tipo. Asa é o vizinho do seu tipo no Eneagrama, o mais intenso em você. 

Por exemplo: se você é um tipo "9" com valor 65 e o número "8" com valor 45 e o número "1", com valor 54, sua "asa" será o número 1. Isto é, você é uma pessoa perfil 9 que recebe maiores influências do tipo 1. 

 
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Instagram Icon